Menu

4 Habilidades do Empreendedor Inteligente

Quando falamos em sucesso na carreira, seja ela corporativa ou empreendedora, normalmente as pessoas ligam à capacidade de QI da pessoa.

Não estou falando do famoso “quem indica” (muito comum na falácia de corredores das empresas), e sim do velho Quociente de Inteligência, que mede nossa capacidade lógica e racional, que, diga-se de passagem, tem função importantíssima para o sucesso de qualquer pessoa.

Porém, cada vez que me deparo com novas empresas e novos cenários, vejo o quão clara é a importância de outro índice, o QE, Quociente Emocional (Goleman, 2012). Gosto de dizer em meus programas e treinamentos que, geralmente, o QI contrata e o QE demite. Não me surpreendo em ver cada vez mais gestores e empresários sem inteligência emocional, que, por sinal, deve ser demonstrada a partir das camadas superiores de uma empresa.

O que quero dizer é que o início de uma nova cultura comportamental deve ter origem no DONO da empresa (ou qualquer que seja o cargo mais alto – presidente, CEO, Diretor Geral, Etc.).

A parte mais legal é que isso se aplica a você que dirige/lidera uma empresa multimilionária, a você que ainda está iniciando uma nova empreitada e ainda está apenas no campo dos projetos de pré-lançamento do seu negócio.

Lembrando que o EMPREENDEDORISMO está nas atitudes e não no fato de abrir um CNPJ, (mas isso é assunto para outro artigo).

Então, afinal de contas, quais são as 4 principais habilidades de um empreendedor com elevado nível de QE?

1) Autoconhecimento: Também podemos chamar de “liderança de si mesmo”. Como você irá disseminar o propósito da sua empresa se não conhece os seus próprios? Como saber quais desafios pode enfrentar agora, ou depois? Quais são as suas reais capacidades e porque acredita que merece ter sucesso?

Todas essas questões precisam estar na ponta do pensamento (não só na ponta da língua). Você precisa se conhecer profundamente, quando o assunto for o seu “eu”, é preciso ser PhD. Do contrário, estará dormindo, acordando, trabalhando e comendo com um desconhecido.

2) Gestão Emocional: Conhecer a si mesmo inclui logo em seguida fazer um diagnóstico de suas emoções. Quais são as suas emoções mais frequentes? De qual forma você as externaliza? Esse é “pulo do gato” quando falamos em Inteligência Emocional. Quais são os seus melhores estados emocionais e como você os provoca?

Dessa forma, você se torna protagonista daquilo que sente e para de ficar à mercê das externalidades.

3) Produtividade: Gestão do tempo: Não! Tempo não é “gerível”, ele é uma variável imutável. Então para com essa história de que “preciso gerir melhor meu tempo”. Se até hoje você não conseguiu é porque simplesmente isso NÃO EXISTE, todos os seres terrestres possuem o mesmo valioso recurso de 24 horas todos os dias.

O que você gere são suas atividades, prioridades e motivações dentro do tempo. Então, quais são suas REAIS motivações para que você domine-as dentro do tempo que você tem? E não invente desculpas, viu!

4) Liderança: Amigo(a), você precisa mover pessoas pra um propósito, para ter sucesso. Senão, você irá ficar limitado apenas à sua capacidade física e temporal.

Grandes líderes expandem suas capacidades ao fazer os outros fazerem. Com liderança, você pode sonhar grande, se expandir sem limites através do pertencimento dos outros à sua causa.

E assim, como as outras três acima, liderança também é uma habilidade que se aprende, se pratica e se repete até chegar à excelência. E TODOS podem ter essa habilidade, desde que se queira, claro.

Então, empreendedor, saia desse status quo e busque entender mais sobre si mesmo.

Tudo começa por você. Escolha a pessoa que deseja ser no futuro e SEJA essa pessoa! Basta querer, e assumir o preço para isso!

Pode contar comigo!

 

Diego Nicolau